Seja mais eficiente nas suas investigações com Big Data

“Data! Data! Data! I can’t make bricks without clay!” – Sir Arthur Conan Doyle

Apesar de ser uma frase muito menos famosa do que a célebre “Elementar, meu caro Watson”, Arthur Conan Doyle destacou desde as suas primeiras obras em 1892 a importância que os dados tinham para Sherlock Holmes conseguir validar as suas mais variadas hipóteses obtendo sucesso nas suas investigações.

Assim como Sherlock Holmes que não conseguia construir sólidas conclusões sem uma quantidade suficiente de dados, dois séculos depois, o corpo executivo e todos os tomadores de decisão de uma empresa precisam de uma base sólida de dados para entender e administrar com sucesso seu negócio.

Ao caminhar sobre uma ótica da importância dos dados para as tomadas de decisão, vemos alguns termos ficarem cada vez mais conhecidos e comentados em papos informais como por exemplo: Big Data.

Mas se você pensa que isso faz parte somente da realidade das grandes empresas, saiba que você está enganado. É importante destacar que quando dizemos o termo Big Data, nos referimos a enorme quantidade de dados que são produzidos e armazenados nos mais variados servidores.

Atualmente, a cada três minutos, um bilhão de gigabytes de informação são gerados. Você realmente acredita que não possui alguma informação que pode ajudar no seu negócio nesse oceano de dados? Big data deve fazer parte da realidade de qualquer empresa, independente do porte ou segmento.

Ter o pensamento voltado a dados e cultura de Big data não é mais um atributo de diferenciação no mercado, mas sim a chave para a sobrevivência em um mercado cada vez mais competitivo.

Com o auxílio de big data nas suas decisões, você pode conquistar para o seu negócio:

  • Antecipação de falhas;
  • Maximização de produtividade;
  • Ampliação de receitas a partir da base de clientes já conquistada;
  • Descoberta de novos mercados.

Esses são somente os principais motivos para adotar o Big data nas organizações apontados por um amplo estudo produzido pela Capgemini, empresa considerada referência mundial em serviços de consultoria e tecnologia, em parceria com o MIT.

A pesquisa analisou 1500 empresas por todo o mundo para compreender o impacto das tecnologias digitais nos negócios. Como principais findings dessa pesquisa, vemos que as organizações ainda estão se adaptando hoje para lidar com essas oportunidades proporcionadas pelo Big data.

A maioria das empresas pesquisadas, 65%, acreditam que as empresas que não adotarem essa estratégia não permanecerão competitivos no mercado no longo prazo. Ou seja, as organizações já estão percebendo que é hora de se moverem rumo aos benefícios proporcionados pela revolução digital.

Então, vamos conhecer como o Big data mudar positivamente a rota do seu negócio?

O Big data na antecipação de falhas e maximização da produtividade

Um dos grandes desafios das empresas é conquistar a produtividade ideal em seu processo produtivo ou na sua prestação de serviços. Para isso, um dos pontos cruciais a serem resolvidos é a identificação das falhas no operacional.

A Solução desse problema: Big data

Com diversos dados em mãos para analisar os processos da sua empresa, as análises de cenários  e a clareza das possibilidades de soluções estarão cada vez mais disponíveis para você.

Muitas vezes, as pessoas que estão ligadas aos processos e ao dia-dia da operação não conseguem identificar os problemas ali existentes por estarem até certo ponto “viciados” a essa rotina.

No entanto, quando você conta com dados para mapeá-los, a identificação dos erros acontecem de uma forma muito menos custosa e, assim, você pode ter muito mais tempo para pensar em alternativas para solucioná-los.

Ou seja, não só o seu trabalho, mas como de todos os funcionários impactos se torna muito mais produtivo causando uma aumento da eficiência operacional. Além disso, analisando os números do seu processo produtivo, você ainda conseguirá enxergar gargalos que, talvez, estivessem passando despercebidos e resolvê-las de forma rápida..

Essas mudanças fazem com que a empresa fique muito mais competitiva uma vez que falhas serão corrigidas rapidamente, oportunidades de negócio serão encontradas e eficiência ampliada.

Como o Big data pode ajudar o seu negócio a faturar mais com os seus atuais clientes

Essa parece uma frase improvável de ser verdadeira, certo?

Mas ela pode ser real se você adotar o Big data na sua empresa.

Como os seus atuais clientes podem lhe render mais receitas do que eles já lhe proporcionam?

Se a sua organização o conhecer profundamente, certamente ela poderá oferecer novas ofertas de produtos ou serviços que esses consumidores realmente precisam. E, claro, sem parecer chato, intrometido ou até mesmo insistente perguntando diretamente ou através de pesquisas pagas.

O Big data proporciona que você conheça, em detalhes, o comportamento de consumo dos seus atuais clientes. Ao ter esses dados em mãos, você saberá exatamente qual é a melhor oferta para fazer a cada um dos seus clientes e, principalmente, quando fazer. A clássica: A oferta certa, para a pessoa certo, no momento certo.

Ou seja, as informações dos seus clientes que estão localizadas desde os computadores da organização até os mais variados canais de comunicação e mídias sociais utilizadas pelos seus atuais clientes são uma verdadeira mina de ouro.

Isso impacta em oportunidades de negócio com clientes que conhecem bem o seu produto/serviço e já lhe renderam receitas. Só que com a oferta certa resolvendo os seus reais problemas eles podem lhe proporcionar ainda mais faturamento.

Com o big data, você conseguirá usar os dados de pessoas que já conhecem e consumiram os seus produtos ou serviços para gerar novas receitas.

Fantástico, não é mesmo?

Novos mercados desbravados com o Big data

A sua empresa vende determinados produtos ou serviços, certo? Mas quem garante que eles serão lucrativos daqui a alguns meses ou anos? Você até acredita que eles serão, mas isso é concreto?

Certamente, não.

Mas você pode se sentir muito mais confortável e confiante para prever esses cenários com o Big data.

E melhor do que isso, é você conseguir descobrir novos produtos e serviços no seu próprio nicho de atuação ou até mesmo em um novo nicho de mercado. Desde já, você já pode pesquisar a fundo essa possibilidade e decolar na frente dos seus concorrentes descobrindo tendências e mudanças de comportamento de mercado. Afinal, eles podem ainda nem terem descoberto essa oportunidade.

E você poderá concentrar os seus esforços para ampliar consideravelmente a sua lucratividade com as novas tendências apontadas pelo Big data. Sem nem sequer cogitar a possibilidade de estar apostando em uma nova frente de negócios sem perspectiva de sucesso.

A sua empresa sem Big data

Depois de ler esse artigo, você imagina o seu negócio sem o Big data? Sem poder contar com os diversos dados fornecidos por ele para analisar o seu negócio no presente e também no futuro?

O Big data pode levar a sua organização para o próximo nível, seja no operacional, reduzindo as falhas e maximizando a produtividade. Ou na geração de novas receitas, através dos atuais clientes e de potenciais clientes que surgirão através de novas estratégias que serão implementadas por você.  E, quem sabe, até mesmo da abertura de novos negócios.

Mais de 70% das empresas pesquisadas pela Capgemini, em parceria com o MIT, acreditam que a sobrevivência das organizações está atrelada a interpretação de dados.

Ou seja, os dados serão cruciais para se manter no competitivo mercado, especialmente, pelo fato das pessoas e até mesmo os objetos(IoT) estarem conectados cada vez mais à internet produzindo, a cada segundo, uma enorme gama de dados que interessam a você para traçar ou alterar o planejamento estratégico da sua empresa.

Muito antes do mundo do Big Data, Sir Arthur Conan Doyle já mostrava a importância da atenção aos detalhes para você conseguir se sobressair. Hoje, devido ao poder computacional e democratização dos dados, não precisamos mais ter poderes de dedução fora do normal, mas precisamos colocar como prioridade da empresa colhendo os frutos no médio/longo prazo.

Desta forma, podemos chegar a somente uma conclusão:

“Elementar, meu caro Watson”

 

Leave a comment